Buscar

ROAD TRIP PELO SUL DO BRASIL - ROTEIRO DE 17 DIAS

Atualizado: 27 de Ago de 2019

Vamos falar um pouquinho de destinos nacionais?


Esse será o primeiro de uma série de posts descrevendo uma road trip que fiz pela região sul do país com a minha família. Fomos eu, meu pai, minha mãe e meus dois irmãos, em dois carros (um Ônix e uma Saveiro). Passamos por várias estradas de terra e não nos deparamos com nenhum trecho complicado de se passar em carros baixos. Mas se você é super apegado ao seu carango, você pode ficar com um pouco de pena, pois suja e chacoalha bastante! Fora a terra, tem bastante pedra, então nem pense em esquecer o estepe!


Saímos de Navirái (sul do Matro Grosso do Sul) e percorremos quase 3.000 km do dia 30 de março ao dia 15 de abril de 2019.


Tenha em mente que éramos cinco pessoas com gostos totalmente diferentes, então algumas concessões tiveram que ser feitas. Mas isso também é bom, porque, teoricamente, é uma viagem que abarca gostos de mais de um tipo de viajante.

Vocês vão perceber isso quando eu detalhar melhor o roteiro em próximas publicações. Nesta eu quero apenas dar uma visão geral da quantidade de lugares que podem ser visitados em 17 dias (num ritmo não muito intenso) e da quantidade de deslocamentos que foram realizados.


Muito bem. Vamos começar, formiguinhas!


Nosso roteiro incluiu a região do Vale dos Vinhedos (RS), Gramado e Canela (RS), Cambará do Sul (RS), Torres (RS), Bom Jardim da Serra (SC) e Urubici (SC), passando por algumas das mais belas estradas cênicas do país, como a Rota do Sol e a Serra do Rio do Rastro.


Eu tracei um roteiro inicial do meu gosto e depois, em conjunto com a minha família, montamos um que agradasse a todos. Durante a viagem tivemos alguns contratempos com o clima e optamos por mudar algumas coisas na hora por conta disso.

Então, nos posts que ainda virão, vou colocar para vocês toda a minha pesquisa, mesmo das coisas que acabamos não fazendo, a título de informação para quem se interessar.


RESUMÃO:

DIA 1: deslocamento de Naviraí (MS) a Chapecó (SC) - cerca de 600 km. Passamos a noite no Holiday & Business Hotel.


DIA 2: deslocamento de Chapecó (SC) ao Vale dos Vinhedos (RS) - cerca de 359 km -, passando pelo Mirante do Vale do Rio das Antas e pela Via Trento. Nos hospedamos na Pousada Ca’di Valle.

Vista do Mirante do Vale do Rio dos Antas

DIA 3: visita à Estação Ferroviária de Garibaldi, andança na Estrada do Sabor, degustação "surpresa" na Vinícola Casa Angelo Fantin e uma volta por Bento Gonçalves.

"O filme da minha vida", do Selton Mello, teve cenas gravadas na Estação Férrea de Garibaldi

DIA 4: rota dos Caminhos de Pedra, pequena volta em Monte Belo do Sul e descida ao Vale Aurora.


DIA 5: deslocamento do Vale dos Vinhedos (RS) à Gramado (RS) - cerca de 120 km -, visita ao famoso Lago Negro e centrinho de Gramado (Rua Coberta, Avenida Borges Medeiros, Catedral São Pedro, Fonte do Amor Eterno, Praça Major Nicoletti, Rua Torta e Praça das Etnias). Nos hospedamos no Hotel Due Nobili.


DIA 6: Parque da Ferradura e Parque dos Paredões.


DIA 7: Le Jardim e uma volta por Canela para ver a Catedral de Pedra.


DIA 8 e 9: deslocamento de Gramado (RS) à Cambará do Sul (RS) - cerca de 113 km. Aqui foi a decepção da viagem. Pegamos o fim de semana inteiro de chuva e neblina, sem visibilidade nenhuma e acabamos não conseguindo conhecer os cânions da região, que era nosso objetivo.

Em dois dias de passeio que tínhamos, fizemos apenas a trilha do vértice do Itaimbézinho, mas sem visibilidade alguma.

Nos hospedamos na Pousada Recanto do Lago.

DIA 10: deslocamento de Cambará do Sul (RS) à Torres (RS) - cerca de 123 km -, descendo pela Rota do Sol, orla da praia e parte do Parque da Guarita. Nos hospedamos na Pousada Café.

Falésias em Torres

DIA 11: deslocamento de Torres (RS) à Bom Jardim da Serra (SC) - cerca de 174 km -, subindo pela temida Serra do Rio do Rastro, com suas curvas fechadíssimas e beleza estonteante, e passando pelo Cânion da Ronda. Nos hospedamos na Fazenda Santa Rita Turismo Rural.


DIA 12: Cânion das Laranjeiras, um pouco de São Joaquim, passando pelo Mirante das Araucárias e pela Vinícola Villa Francioni.

O Cânion das Laranjeiras não tem nenhum tipo de proteção delimitando suas bordas. Não é recomendado se aproximar com neblina!

DIA 13: deslocamento de Bom Jardim da Serra (SC) à Urubici (SC) - cerca de 73 km - e Cascata do Avencal (vimos por cima, por um dos parques, e fizemos a trilha para ver por baixo também). Nos hospedamos na Pousada Vila dos Butiás.


DIA 14: Serra do Corvo Branco, Cascata Véu de Noiva, Gruta Nossa Senhora de Lourdes e Caverna dos Bugres.


A Serra do Corvo Branco possui o maior corte em rocha no Brasil, com 90 metros de profundidade

DIA 15: subida ao Morro da Igreja para ver a Pedra Furada, visita ao sítio Arroio do Engenho, com trilha para ver a Cascata da Neve e a Cascata das Araucárias e pôr do sol no Morro do Campestre.


DIA 16: deslocamento de Urubici (SC) à Laranjeiras do Sul (PR) - cerca de 615 km. Passamos a noite no Hotel Laranjeiras Palace.


DIA 17: deslocamento de Laranjeiras do Sul (PR) à Naviraí (MS) - cerca de 416 km.


VALEU A PENA?

Foram 17 dias na estrada, passando por variados tipos de pista.


No geral, achei os deslocamentos entre os destinos tranquilos e não tão longos a ponto de prejudicar um dia de passeio.

Já os deslocamentos maiores são mais cansativos. Estávamos em quatro motoristas revezando dois carros e, mesmo assim, no fim do dia a fadiga dava as caras (mas era tudo tão bonito que o cansaço ficava um pouco em segundo plano).


Em contrapartida, aluguel de carro no Brasil não é tão barato e acho que fazer esse roteiro sem carro demandaria muito mais dias, fora a perda de tempo, mobilidade e flexibilidade para montar e mudar o script.


Então, eu diria que, se você não está preocupado com gastos, quer otimizar o tempo de viagem e não se cansar tanto, vá de avião até Porto Alegre ou Caxias do Sul e alugue um carro para fazer este ou outros roteiros com mais conforto e mobilidade.

Se, por outro lado, você procura uma economia maior e/ou ama dirigir, pegue seu carango e bote ele na estrada sem medo de ser feliz!


Para você que acha que viajar é só ir para fora do país, fique sabendo que nossa terra é muito linda (eu fiquei muito encantada com as paisagens que cruzamos!! Vai ter surra de fotos nos próximos posts!!!) e tudo é mais fácil estando no seu país de origem, onde você domina a língua e tem uma noção mínima do que esperar de cada região do Brasil.


Nos próximos textos vou destrinchar essa viagem dia a dia com vocês, dando detalhes de todos os lugares, falando sobre hospedagens, restaurantes, gastos, contratempos e tudo mais que aconteceu. Caso você queira mais informações, consulte os seguintes posts:

Qualquer dúvida, correção ou sugestão, não hesite em mandar uma mensagem ou deixar um comentário.


PS.: Com exceção de duas pousadas, todas as reservas de hospedagem foram feitas pelo Booking. Se você quiser economizar um pouquinho em estadia na sua próxima viagem, pode usar o meu link: https://www.booking.com/s/35_6/massul59 (depois de realizada a reserva, você ganhará R$ 50,00 para resgate em cartão de crédito ou para utilizar na sua próxima reserva pelo site ou aplicativo).


Até a próxima o/

124 visualizações2 comentários
  • Black Instagram Icon

Formigas Viajantes - 2019

Viagem - Turismo - Dicas

  • Black Instagram Icon