Buscar

Onde se hospedar em Bruxelas: opção prática e econômica para estadias curtas

No post de hoje, compartilhamos as vantagens e desvantagens de se hospedar no Ibis Brussels Centre Gare du Midi, em Bruxelas.


De cada 10 sugestões de hospedagem em Bruxelas, 9 vão recomendar que você NÃO fique hospedado perto da estação Gare du Midi. Afinal, é longe do centro, longe da linda Grand Place e... bem, perto de uma estação de trem, região que não costuma ser bem-encarada. Além disso, Bruxelas possui bairros bem mais interessantes para se hospedar, como o Centro, Saint-Gilles e o Distrito Europeu.


Contudo, ao montar o roteiro da nossa #eurotrip2019, logo percebi que essa opção nos seria muito cômoda: nós chegaríamos e sairíamos de Bruxelas pela Gare du Midi (vindos de Amsterdam e indo para Paris) e pretendíamos visitar Bruges, sendo que o trem para lá sai tanto da estação Brussel-Centraal / Bruxelles-Central quanto do Gare du Midi.


Além do mais, ficaríamos apenas dois dias em Bruxelas!


Por isso, consciente e voluntariamente, optamos por ficar nessa região e a marca Ibis, claro, nos chamou a atenção.


Vantagens: a localização e, pasmem!, o espaço!

Para nossa felicidade e surpresa, o quarto era bem espaçoso, com lugar de sobra para malas, mochilas e bagunça. O banheiro também era grande!


Além disso, como já mencionado acima, a localização é muito conveniente para quem vai usar bastante a estação Gare du Midi - que, diga-se de passagem, tem também Carrefour Express com sanduíches, bebidas (inclusive suco de laranja natural, feito por aquelas maquininhas que espremem a laranja na hora), pain au chocolate, baguetes etc.


Também vale mencionar que na estação Gare du Midi passam metrôs. Nós, por exemplo, deixamos nossas malas no hotel, pegamos um metrô e fomos para o Parlamento Europeu – primeiro ponto do nosso passeio por Bruxelas.


Aliás, outro item que foi um diferencial para nós: o guarda-volumes no subsolo.


Chegamos em Bruxelas às 10h e o check-in só poderia ser feito a partir das 15h. Então, assim que chegamos na recepção, perguntamos se poderíamos guardar nossas malas, recebemos um cartão e a orientação de que o guarda-volumes ficava no subsolo. Segue abaixo nossa experiência nesse quesito:


1. O guarda-volumes é automático: você mesmo escolhe um armário (pequeno, médio ou grande), acondiciona suas malas e faz os procedimentos para trancar a porta. No nosso caso, pegamos um grande e couberam: 1 mala média + 1 mochila de 60 litro + 1 bagagem de mão + 1 mochila pequena. Acondicionou sua bagagem? Feche a porta.


Tabela de preços (abril/2019) e o armário que utilizamos para guardar nossas bagagens.

2. Escolha o idioma no painel (tinha opção de português, mas na hora não estava funcionando. Tentamos duas vezes, não deu certo, então voltamos pro início, e escolhemos o inglês).


Painel do guarda-volumes.

3. Coloque uma moeda de €1 (o valor total vai ser cobrado no momento da retirada) e digite o armário em que você colocou as malas. Pronto! Ele vai travar e imprimir um comprovante. GUARDE-o!

Comprovante emitido pelo guarda-volumes. GUARDE este papel! Você vai precisar do código para abrir seu armário depois.

4. Na hora de recuperar a bagagem, digite o código do seu comprovante, pague o aluguel do armário (ele já desconta aquele €1 que foi inserido como "caução") e pronto! A máquina vai destravar e você já pode retirar suas malas do guarda-volumes.


Outro item que para nós foi muito relevante: no subsolo também tem banheiros que você pode usar mesmo sem ter feito o check-in. Nós guardamos nossas malas, fomos ao banheiro e depois já saímos para passear por Bruxelas.


Desvantagem: a localização. Tirando o fato de estar em frente ao Gare du Midi, a localização é bem sem graça. Além disso, não chega ser insegura, mas não posso omitir o fato de que vimos umas pessoas meio suspeitas na esquina do hotel e uns pedintes na entrada da estação. Não mexeram conosco, mas não deixa de ser um ponto a considerar.


"Dá pra ir andando para outros lugares?" Olha... se você tiver energias, sim. Nós voltamos a pé da Grand Place até o hotel nos dois dias de hospedagem – aproveitando que eram umas 20h e estava escurecendo por volta das 20h30. Mas é uma caminhada de uns 25 minutos, sem atrativos, passando por debaixo de ponte e lugares visualmente desinteressantes. Mas, em não se animando, você pode pegar um metro, tram ou trem – opções não faltam.


Ficou com alguma dúvida? Já se hospedou em Bruxelas? Onde? Deixe nos comentários!


P.S.: Nossa reserva foi feita pela Hoteis.com. Porém a hospedagem também está disponível no Booking.com, onde a Raissa deixou um presente para você que quer economizar um pouquinho com estadia na sua próxima viagem: use o link https://www.booking.com/s/35_6/massul59 e, depois de realizada a reserva, você ganhará R$ 50,00 para resgate em cartão de crédito ou para utilizar na sua próxima reserva pelo site ou aplicativo do Booking.



37 visualizações
  • Black Instagram Icon

Formigas Viajantes - 2019

Viagem - Turismo - Dicas

  • Black Instagram Icon